quarta-feira, 19 de dezembro de 2018   inicía sessão ou registrar-te
 
Protestante Digital
 
Flecha
 
 
SIGA-NOS EN
  • Twitter
  • Facebook
 

Newsletter
Newsletter, recebe todas as notícias em tua bandeja de entrada
 
 
 
 

ENCUESTA
Encuesta cerrada. Número de votos: 0
VER MÁS ENCUESTAS
 



Alive inside (Vivo em meu interior)
 

A música desperta o cérebro de enfermos com Alzheimer

Enfermos de Alzheimer cobram vida quando escutam suas músicas favoritas. A ONG ‘Memória e Música” trabalha para isto.
NOVA YORK 03 DE MAIO DE 2012

Graças às redes sociais, um documentário sobre o poder da música nos enfermos de Alzheimer teve mais de 60 mil espectadores antes de sua estréia em Nova York. O vídeo ‘Aive Inside’ (Vivo em meu interior), realizado por Michael Rossato-Bennett, foi apresentado oficialmente quarta-feira,18 de abril no Museu Rubin, com entradas esgotadas desde a véspera.



Alguém colocou noYoutube o trailer do vídeo –que ainda não estava terminado de editar-, generando um impacto inesperado para os realizadores do documental, que reflete os resultados do programa ‘Música e Memória”, dirigido por Dan Cohen.



"Existem um milhão e meio de pessoas nos asilos de idosos em Espanha", disse o realizador Michael Rossato-Bennett em uma entrevista na televisão."Quando vi o que passou com Henry fiquei impactado. Se vês a um ser humano despertar assim, algo te toca muito profundo dentro de ti", assegurou. Henry é um dos sete pacientes estudados no documental ‘Alive Inside’, uma olhada terna ao potencial da música para ajudar aos lares de idosos.



O DOCUMENTÁRIO

Rossato-Bennett se fez responsável do projeto documental para promover ‘Música e Memória’, uma organização sem fins de lucro que reúne iPods com música personalizada para pacientes com demência, logo de que a entidade o contratou para redesenhar sua página web. Não imaginava que o projeto terminaría o prendendo, ao ponto de trabalhar de noite e dia.


A tela reflete como Henry Dryer se sente, desmoronado sobre a bandeija atada a sua cadeira de rodas. Ele não fala, e rara vez se move, até que um trabalhador do lar de idosos lhe coloca os fones de ouvido.



A continuação, Henry começa a mover os pés, movendo os braços flexionados para frente e para trás, e canta em voz alta em perfeita sincronía com suas canções favoritas.



"Sinto uma banda de amor, sonhos", disse Dryer, de 92 anos, que tem demência. "Me da a sensação de amor, de romance!".



Dryer chegou a um lar de idosos faz 10 anos, sofrendo convulsões. Sua filha, Cheryl afirma que ele sempre amou a música. "Sempre estava conectado a música, sempre gostou de cantar e dançar", expressa."Ele nos levava caminhando pela rua a meu irmão e a mim, e se parava e cantava na chuva. Nos fazia saltar e girar ao redor dos lugares”, recorda.



Os temas favoritos de Dryer são: Cab Calloway e Bing Crosby. Especialmente, "Estarei em casa para o Natal", que canta com uma voz comovedora.



MÚSICA PERSONALIZADA

A enfermidade de Alzheimer é a causa mais comum de demência, que afeta a 5,4 milhões de estado-unidenses. Rápidamente rouba as lembranças e outras funções cerebrais aos pacientes, obrigando a maioría a viver seus últimos anos em lares de idosos.



"Quando eu termine em um asilo de idosos, quero ter minha música comigo", expressa Dan Cohen, diretor executivo da organização."Não tem muitas atividades nos asilos de idosos que sejam pessoalmente significativas...".



Cohen afirma que as listas de assuntos personalizados, escolhidos por seus seres queridos, fazem que os pacientes se iluminem. "Estão mais alertas, mais atentos, mais cooperativos, mais comprometidos", explica."Inclusive ainda que não possam falar e tenham deixado reconhecer a seus seres queridos, ao ouvir música cobram vida".



O PODER DA MÚSICA

ODr. Oliver Sacks, neurologista entrevistado no filme, disse que a música pode ter um poderoso efeito em pessoas com demência.



"Em primeiro lugar, vemos a Henry inerte, talvez deprimido, sem responder e quase sem vida. Então lhe dão um iPod que contém sua música favorita... E em seguida se liga", disse Sacks, cujo relato da musicoterapia no tratamento da enfermidade de Parkinson inspirou o livro e o filme "Despertares".



Geri Hall, uma especialista em enfermagem clínica no Instituto da Banner Alzheimer Institute, em Phoenix, Arizona, dilho que a música ativa uma parte do cérebro que permanece viva apesar da demência."Tem algo sobre a música que atravessa direito até o fundo da enfermidade", disse, e agregou que a música conhecida no passado pode ajudar as pessoas com demência a sentir-se como em casa." tranquiliza, aumenta a socialização, e diminue a necessidade de medicamentos que controlam o estado de ânimo."



UM IPOD PARA CADA ANCIÃO

Entretanto, um iPod para todos os residentes de um lar de idosos não é tarefa fácil."Isso é muito dinheiro cuando se está falando de 200 pessoas em um centro de cuidados a longo prazo", disse Geri Hall.



“Música e Memória’ aceita iPods novos e usados, e os distribui aos lares de idosos. Se espera que "Alive Inside" inspire a mais gente a pensar na música como um simples ponto de partida para melhorar o cuidado dos pacientes com demência.



“Realizar este documentário foi uma odissea alucinante. Nenhum projeto em que trabalhei me mudou tanto como esta história. É minha esperança que este filme desperte os corações das pessoas e ajude a que seja possível levar a música aos asilos de idosos, a pessoas que nem sequer sabem o muito que necessitam o presente da música”, declarou o diretor Michael Bennet-Rossato.
 

 


0
COMENTÁRIOS

    Se queres comentar ou

 



 
 
ESTÁS EM: - - A música desperta o cérebro de enfermos com Alzheimer
 
 
 
 
RECOMENDAÇÕES
 

Protestante Digital é um diário online gratuito que se financía por meio da publicidade e patrocinadores. Para apoiar nosso trabalho e poder seguir desenvolvendo esta atividade de uma maneira aberta aos leitores, você pode fazer uma doação mediante PayPal ou fazendo uma transferência bancaria (com o assunto: Doação Protestante Digital).

ES85 21000853530200278394
 
PATROCINADORES
 

 
AEE
PROTESTANTE DIGITAL FORMA PARTE DA: Alianza Evangélica Española
MEMBRO DE: Evangelical European Alliance (EEA) y World Evangelical Alliance (WEA)
 

As opiniões vertidas por nossos colaboradores se realizam a nível pessoal, podendo coincidir ou não com a postura da direção de Protestante Digital.