sexta-feira, 28 de abril de 2017   inicía sessão ou registrar-te
 
Protestante Digital
 
Flecha
 
 
SIGA-NOS EN
  • Twitter
  • Facebook
 

Newsletter
Newsletter, recebe todas as notícias em tua bandeja de entrada
 
 
 
 

ENCUESTA
Encuesta cerrada. Número de votos: 0
VER MÁS ENCUESTAS
 



Um país sem liberdades
 

Morre o ditador de Uzbekistan, cristãos esperam liberdade religiosa

Muçulmanos e protestantes sofrem perseguição num país marcado pela corrupção, as torturas e os trabalhos forçados. O regime tentou ocultar durante dias a morte de quem tem manejado a república pós-soviética por 25 anos.

FONTES El Mundo El País Taskent 03 DE SETEMBRO DE 2016 20:01 h
Vista da zona turística de Taskent, a capital de Uzbekistão.

No sábado dia 3 de setembro enterrou-se finalmente a mais um dos ditadores desconhecidos, o até agora presidente de Uzbekistan, Islão Karímov.



Várias agências e meios independentes adiantaram há alguns dias que quem tem dirigido a república pós-soviética desde que se fundasse (em 1991) tinha sofrido um derrame cerebral. Finalmente, os meios oficiais confirmaram a notícia.



O ditador tem “ganhado” a cada eleição à que se apresentou em seus 25 anos de controle,  com porcentagens de apoio de 85% ao 95%. O país não tem nenhum tipo de oposição política, e ONGs como HRW falam de 10.000 presos políticos e torturas constantes.Por seu hermetismo, Uzbekistan tem sido apodada a “Coreia do Norte de Ásia Central”.



 



Islam Karímov, até agora dirigente de Uzbekistão.

Uzbekistan é um país rico em recursos naturais, especialmente ouro, estanho e algodão. Para produzir o algodão, o regime emprega mão de obra forçada a escala em massa -chegou-se a falar de um milhão de pessoas a cada ano- que inclui a adolescentes para produzir 850.000 toneladas de algodão anuais, que reportam à ditadura rendimentos de 1.000 milhões de dólares, segundo dados da ONG Anti-Slavery.



REPRESSÃO CONTRA MUÇULMANOS E CRISTÃOS



Acha-se que  90% dos 29 milhões de uzbecos são muçulmanos, mas o regime persegue qualquer organização religiosa que possa ameaçar ao sistema.



Movimentos islâmicos têm sido combatidos duramente no país, uma repressão que teria motivado a muitos a se unir ao Daesh ou a grupos islamistas em Afeganistão.



A agência especializada em liberdade religiosa Fórum 18 tem produzido dezenas de informes negativos sobre Uzbekistão. neles relata a constante pressão sobre Testemunhas de Jehová, que são encarcerados continuamente por celebrar reuniões em casas.



É também asfixiante a pressão sobre os cristãos protestantes. Neste ano inspecionaram-se moradias de particulares em busca de “material religioso”. Só em 2016 têm sido encarcerados vários crentes, que têm sofrido em alguns casos torturas, além de enfrentar multas econômicas.



Toda literatura religiosa está proibida no país, bem como qualquer tipo de celebração religiosa. O chefe de polícia da cidade de Fergana, reconhecia numa entrevista a Fórum 18 em abril de 2016, que “se um cidadão tem mais de uma Biblia, significa que está a tentar reunir a outras pessoas em casa para orações e reuniões ilegais”.



Várias pessoas encarceradas por motivos religiosos têm denunciado condições de higiene deplorables, bem como tentativas de violação.



RÚSSIA E EEUU APOIAM AO REGIME



Pese à mão de ferro e a ausência de Direitos Humanos, Uzbekistão conta com o apoio de sócios claves na cena internacional como Rússia, Chinesa e EEUU (que tem bases militares no país).



Fontes cientes do país consideram que o regime já tem enchido o vazio de poder que se tinha produzido com a morte de Karímov; e seguir-se-á na linha dura levada a cabo até agora. Não se prevêem, por tanto, mudanças relevantes em matéria de Direitos Humanos.



Uzbekistão ocupa o posto número 15 na Lista de Perseguição Mundial de Portas Abertas, que considera que no país se da uma “perseguição bem alta.”


 

 


0
COMENTÁRIOS

    Se queres comentar ou

 



 
 
ESTÁS EM: - - Morre o ditador de Uzbekistan, cristãos esperam liberdade religiosa
 
 
 
 
RECOMENDAÇÕES
 

Protestante Digital é um diário online gratuito que se financía por meio da publicidade e patrocinadores. Para apoiar nosso trabalho e poder seguir desenvolvendo esta atividade de uma maneira aberta aos leitores, você pode fazer uma doação mediante PayPal ou fazendo uma transferência bancaria (com o assunto: Doação Protestante Digital).

ES85 21000853530200278394
 
PATROCINADORES
 

 
AEE
PROTESTANTE DIGITAL FORMA PARTE DA: Alianza Evangélica Española
MEMBRO DE: Evangelical European Alliance (EEA) y World Evangelical Alliance (WEA)
 

As opiniões vertidas por nossos colaboradores se realizam a nível pessoal, podendo coincidir ou não com a postura da direção de Protestante Digital.