sexta-feira, 22 de setembro de 2017   inicía sessão ou registrar-te
 
Protestante Digital
 
Flecha
 
 
SIGA-NOS EN
  • Twitter
  • Facebook
 

Newsletter
Newsletter, recebe todas as notícias em tua bandeja de entrada
 
 
 
 

ENCUESTA
Encuesta cerrada. Número de votos: 0
VER MÁS ENCUESTAS
 



Lista de Vigilância Mundial 2015
 

Aumenta a perseguição aos cristãos em todo mundo

Portas Abertas dá a conhecer a lista dos 50 países que mais perseguem à igreja, que sofre sobretudo onde o Islã é maioritário.

MADRID 07 DE JANEIRO DE 2015 19:35 h
pakistan Uma mulher cristã observa seu lar destruído, em Paquistão (posto 8 na Lista de Vigilância Mundial). / NBC

A perseguição a cristãos no mundo incrementou-se durante o ano 2014. Assim o comunica Portas Abertas, organização internacional dedicada à defesa dos cristãos perseguidos que a cada ano, desde 2002, elabora sua “Lista de Vigilância Mundial” (World Watch List).



A lista, que se dá a conhecer nesta quarta-feira 7 de janeiro, traz notícias “preocupantes”, comenta a Protestante Digital Ted Blake, director de Portas Abertas em Espanha. “A perseguição vai em aumento. Tem subido 3 pontos porcentuais a média para poder entrar neste top 50, pelo que detectamos um incremento significativo a nível global”, expõe Blake..



“Por exemplo, Arábia Saudita tem passado do posto 6 ao 12, mas não porque tenham abaixado o nível de perseguição, senão porque tem aumentado em outros países”, explica o diretor da entidade, que elabora a lista desde o ano 2002.



 



O RADICALISMO ISLÂMICO, CONTRA A LIBERDADE



A maioria dos 50 países que aparecem na lista têm um fator comum: neles, as leis se ajustam em maior ou menor medida à sharia, a doutrina islâmica, segundo a qual não há lugar para outra religião que não seja a muçulmana.



O islamismo fez-se notar de forma muito clara em Iraque e Síria (postos 3 e 4 da lista) com a irrupção do Estado Islâmico. No entanto, também se deu em outros países, sobretudo em África.



 



“Preocupa-nos profundamente a violência religiosa por parte do radicalismo islâmico que vai dirigida aos cristãos, porque vemos como os muçulmanos não querem se misturar com os cristãos”, explica Ted Blake, que não vê ademais sinais positivos por parte dos muçulmanos. “É muito difícil que tenha uma melhora na situação das liberdades no contexto muçulmano. O islã não admite a possibilidade de que tenha outra religião aparte da sua”, explicam desde Portas Abertas...



Consigna-a em muitos países é que “se não és muçulmano não mereces viver. E esta é uma das realidades que encontramos”..



 



ÁFRICA: CRISTÃOS EM PERIGO



Um dos aspectos destacados na Lista de Vigilância Mundial 2015 é o aumento da perseguição em países africanos que não costumavam aparecer. O país onde mais se incrementou a perseguição é Kenia, um país “de maioria cristã”, explica Ted Blake, onde “as incursões de grupos radicais islâmicos desde Somalia invadem as comunidades cristãs, que são objetivo de seus ataques violentos”.



Um caso significativo é o de Nigéria, país que pela primeira vez ocupa um lugar entre os dez onde há maior perseguição. “O grupo islâmico Boko Haram quer acabar com os cristãos. Sobretudo no 2015 querem que não estejam em seu lugar de residência à hora de exercer o voto ante as próximas eleições presidenciais”, explica Ted Blake.



Segundo os cálculos de Portas Abertas, uns 4.000 cristãos têm sido assassinados neste ano por Boko Haram. Um massacre que ainda tem estado acompanhada de sequestros de mulheres e crianças. “Querem destruir a base da família cristã – adverte Ted Blake - atacando sobretudo às mulheres, que são as maiores defensoras da fé na estrutura social de Nigéria”.



 



EUROPA, no ponto de mira



A batalha contra o islamismo radical não se desenvolve só no Oriente Próximo, África ou Ásia, senão também na Europa. O ataque nesta quarta-feira a uma revista satírica na França por reproduzir vinhetas de Mahomé mostra o perigo da extensão dos radicalismos no velho continente.



Para Ted Blake, no ideário de muitos muçulmanos “há a intenção de reconquistar Europa. Falam de recuperar A o-Andalus, e têm várias formas de levá-lo a cabo. Uma é com o fato da reprodução. Simplesmente vivendo em Europa, como têm entre cinco e dez filhos enquanto os europeus têm entre um e dois filhos. Portanto em pouco tempo poderiam ser maioria”, explica.



“Usando as leis de liberdade de religião e de pensamento, eles poderiam chegar ao poder e transformar as leis para fundar estados islâmicos em Europa. Há estudos que falam de maiorias muçulmanas em Europa em poucos anos e isto é uma realidade que devemos ter em conta. Egito faz uns 400 anos era um país de maioria cristã. Setenta anos depois passou a ser um país muçulmano.Isto poderia ocorrer em Europa também”, adverte o experiente do ministério Portas Abertas.



 



COREIA DO NORTE, EM CABEÇA



A lista de Vigilância Mundial 2015 volta a estar liderada por Coreia do Norte, algo que se repete desde o ano 2002. O país asiático continua sendo um lugar perigoso para os cristãos, de fato, os indicadores de Portas Abertas mostram um empeoramento da situação.



No entanto “há alguns indícios subjetivos, algumas vozes de pessoas que consideram que terá uma mudança de aqui a cinco anos em Coreia do Norte. Há esperança de que a situação melhore num futuro não demasiado longínquo”, agrega Ted Blake.



 



MÉXICO E COLOMBIA, NA LISTA



Dentro da lista encontram-se países que partem de um contexto de liberdade religiosa, mas nos que se está a produzir casos de perseguição. Assim sucede em México, que aparece no posto 38. “A corrupção e o narcotráfico geram violência para os cristãos, sobretudo para aqueles que se opõem a que os jovens se envolvam no crime organizado”, explica Blake.



Algo similar ocorre em Colômbia, que volta a estar na lista ao não se modificar demasiado sua situação com respeito ao ano anterior.“A perseguição localiza-se em lugares concretos, mais bem rurais, e está sobretudo dirigida a comunidades protestantes. Os católicos não estão a sofrer esta perseguição. Sofrem-na sobretudo os líderes, os pastores, que se opõem à extorsão de grupos violentos”, explica Ted Blake.



Diante de todas estas circunstâncias, Ted Blake pede que os cristãos sobretudo “orem” pelos cristãos perseguidos. “É o mais poderoso que podemos fazer (...) orar para que Deus atue”. Também se pode escrever cartas aos cristãos perseguidos ou “inclusive os visitar”.Desde Portas Abertas animam assim mesmo às pessoas a “estar informados” sobre a perseguição aos cristãos, algo que levam a cabo com regularidade desde sua página web.



 



A lista dos 50 países é a seguinte: 



 



1. Coréia do Norte



2. Somália



3. Iraque



4. Siria



5. Afeganistão



6. Sudã



7. Irã



8. Paquistão



9. Eritrea



10. Nigéria



11. Ilhas Maldivas



12. Arabia Saudíta



13. Líbia



14. Yemen



15. Uzbequistão



16. Vietnam



17. Rep. Centro africana



18. Quatar



19. Kenia



20. Turquimenistão



21. India



22. Etiopía



23. Egito



24. Djibuti



25. Myanmar



26. Palestina



27. Brunei



28. Laos



29. China



30. Jordânia



31. Butão



32. Ilhas Comoros



33. Tanzania



34. Argélia



35. Colômbia



36. Tunisia



37. Malásia



38. México



39. Omán



40. Mali



41. Turquía



42. Kazaquistão



43. Bangladesh



44. Sri Lanka



45. Tayiquistão



46. Azerbayão



47. Indonésia



48. Mauritania



49. Emiratos Árabes



50. Kuwait



Podem descargar um PDF com o mapa da Lista de Vigilância Mundial 2015 (em inglês).


 

 


0
COMENTÁRIOS

    Se queres comentar ou

 



 
 
ESTÁS EM: - - Aumenta a perseguição aos cristãos em todo mundo
 
 
 
 
RECOMENDAÇÕES
 

Protestante Digital é um diário online gratuito que se financía por meio da publicidade e patrocinadores. Para apoiar nosso trabalho e poder seguir desenvolvendo esta atividade de uma maneira aberta aos leitores, você pode fazer uma doação mediante PayPal ou fazendo uma transferência bancaria (com o assunto: Doação Protestante Digital).

ES85 21000853530200278394
 
PATROCINADORES
 

 
AEE
PROTESTANTE DIGITAL FORMA PARTE DA: Alianza Evangélica Española
MEMBRO DE: Evangelical European Alliance (EEA) y World Evangelical Alliance (WEA)
 

As opiniões vertidas por nossos colaboradores se realizam a nível pessoal, podendo coincidir ou não com a postura da direção de Protestante Digital.