quinta-feira, 17 de agosto de 2017   inicía sessão ou registrar-te
 
Protestante Digital
 
Flecha
 
 
SIGA-NOS EN
  • Twitter
  • Facebook
 

Newsletter
Newsletter, recebe todas as notícias em tua bandeja de entrada
 
 
 
 

ENCUESTA
Encuesta cerrada. Número de votos: 0
VER MÁS ENCUESTAS
 



Ciência e Bíblia
 

Cientistas ‘separam’ as águas do Mar Vermelho, como Moisés em 'Exodus'

A épica passagem bíblica, que o filme "Exodus" voltou a pôr de atualidade, pode ter sido provocado por fortes ventos

EE.UU. 11 DE DEZEMBRO DE 2014 23:45 h
Exodus Êxodo

A separação do Mar Vermelho é um dos relatos bíblicos mais épicos, emocionantes e legendarios. Uma cena que com todo o tipo de modernos efeitos especiais, podemos ver na nova superprodução «Exodus» de Ridley Scott, com Christian Bala como profeta.



O filme, agora em cartaz, tem voltado a pôr atualidade a separação das águas faz mais de 3.000 anos. Para valer pôde ocorrer algo assim?



Um estudo realizado por pesquisadores do Centro Nacional de Investigação Atmosférica (NCAR) e a Universidade de Colorado em Boulder (CU) dava em seu dia uma explicação alternativa: um efeito especial do movimento de fortes ventos na zona.



 



CIÊNCIA E BÍBLIA



Um forte vento do este que soprasse durante toda a noite poderia ter feito retroceder as águas de uma zona próxima ao mar Vermelho de maneira idêntica à descrita no livro de Éxodo (Antigo Testamento cristão), segundo um experimento realizado por pesquisadores estadounidenses cujo trabalho não tem vinculação com a fé cristã.



Mediante simulações baseadas num estudo com catorze modelos realizados por computador, e como parte de uma mais ampla investigação sobre como os ventos afetam às grandes massas de água, os cientistas mostraram que o vento pode empurrar e fazer retroceder a água, partindo em duas quando uma curva de rio se funde com uma lagoa costera.



Curioso tem sido, disse Carl Drews de NCAR que liderou o estudo, que “as simulações encaixam de forma bastante perto com o relato descrito no êxodo”. Assim, “a separação das águas pode entender-se com ajuda de dinâmica de fluídos. Os ventos movem a água de uma forma em concordância às leis do físico, criado uma passagem certa com água a ambos lados e permitido logo retornar à água a sua posição original enforma brusco”, indicou.



Drews e seus colegas estudam como os tifones do Oceano Pacífico podem criar aumentos de tormentas e outros efeitos de ventos fortes e sustentados em águas profundas. Sua equipa localizou um lugar ao sul do mar Mediterráneo onde pôde se realizar o legendario cruze do Mar Vermelho e modelou diferentes formações de terra que puderam existir naquele tempo, e que teriam gerado a história do mar se abrindo para o atravessar.



O modelo requer um terreno em forma de ´Ou´ no rio Nilo e uma lagoa pouco profunda ao longo da costa, carcaterísticas que encontraram numa zona cerca do delta do Nilo, e que pôde ser a que relata o livro do Éxodo (ver video ao final desta notícia).



O estudo, realizado pelo Centro Nacional para a Investigação Atmosférica de Estados Unidos e a Universidade de Colorado, situa o passo do Mar Vermelho bem perto do Mar Mediterrâneo, onde medidas através de satélite mostram que um antigo braço do delta do Nilo se acercava ao lago Tanis, de pouca profundidade e próximo da costa, para perto da atual cidade de Port Said.



A força do vento teria repartido as águas do Mar Vermelho -a língua que sobe desde Suez- entre o lago e o braço do Nilo.



 



RECREADO PELO COMPUTADOR



Na simulação realizada e recreada mostra-se por tratamento informático que um vento de 101 quilômetros por hora, soprando de forma contínua durante 12 horas, pôde fazer retroceder as águas –que nesta zona têm 2 metros de profundidade- até deixar à vista a terra do fundo de maneira que constitui uma pista em forma de ponte de terra flanqueado por duas paredes de água, uma à cada lado.



"Esta ponte de terra mediria uns 3 quilômetros de comprimento e 5 quilômetros de largura, e permaneceria aberto durante 4 horas", reflete o estudo publicado na revista Public Library of Science, PLoS ONE. "Às pessoas sempre lhes fascinou esta história do Éxodo, se perguntando se prove de fatos históricos. O que mostra este estudo é que a descrição das águas separadas tem uma base nas leis físicas", disse Drews.





CONTRADIZ A INFLUÊNCIA DE DEUS?



A investigação não procura negar nem apoiar a intervenção divina, só examinar a possibilidade de que efectivamente as águas se abrissem e oferecessem o poder cruzar a pé através do leito do mar, algo ao que dá credibilidade.



Para um crente que o vento abrisse um caminho de terra entre as águas do Mar Vermelho no exato momento em que estavam atrapados na orla, para depois fechar ao passo de seus perseguidores, seria ver a mão de Deus através de um fenômeno físico, natural mas incomum, com o providencial aparecimento no momento e lugar exato.



Há outras teorias físicas que têm tentado explicar este mesmo fenómeno (uma delas um tsunami, como consequência de uma erupção vulcânica numa ilha de Grécia); e desde depois para quem crêem num Deus todopoderoso nunca se pode descartar a ação direta sobrenatural do poder de Deus..



Em qualquer caso, que um povo de escravos conseguisse fugir do maior império de seu tempo através de um mar que se abre e depois se fecha, não pode deixar dúvidas de que, ou não é verdadeiro, ou caso do ser a mão de Deus estava detrás.


 

 





 
 
ESTÁS EM: - - Cientistas ‘separam’ as águas do Mar Vermelho, como Moisés em 'Exodus'
 
 
 
 
RECOMENDAÇÕES
 

Protestante Digital é um diário online gratuito que se financía por meio da publicidade e patrocinadores. Para apoiar nosso trabalho e poder seguir desenvolvendo esta atividade de uma maneira aberta aos leitores, você pode fazer uma doação mediante PayPal ou fazendo uma transferência bancaria (com o assunto: Doação Protestante Digital).

ES85 21000853530200278394
 
PATROCINADORES
 

 
AEE
PROTESTANTE DIGITAL FORMA PARTE DA: Alianza Evangélica Española
MEMBRO DE: Evangelical European Alliance (EEA) y World Evangelical Alliance (WEA)
 

As opiniões vertidas por nossos colaboradores se realizam a nível pessoal, podendo coincidir ou não com a postura da direção de Protestante Digital.